ARTIGO – Como a ME e a EPP podem se fortalecer para não serem engolidas?


A maioria das empresas no Brasil são Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), mas o que elas realmente são? A primeira corresponde aos empreendimentos que têm receita bruta anual inferior ou igual a R$ 360 mil, já a segunda engloba negócios com limite de faturamento anual de até R$ 4,8 milhões.

Dados do Sebrae revelam que as micro e pequenas empresas representam 99% dos estabelecimentos no país, sendo responsável por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e 52% dos empregos formais. Mostrando assim o quanto são relevantes na geração de renda para as pessoas e o quanto é importante o governo trata-las com o cuidado e atenção que elas precisam.

Estima-se que no Brasil cerca de 25% das empresas abertas não sobrevivem aos 2 primeiros anos de atividade, sendo a maioria dessas, micro e pequenas empresas, por isso é importante os empresários desse ramo estarem atento ao mercado para não serem engolidos e entrarem nessa estatística.

Outro dado preocupante é o crescimento da inadimplência das micro e pequenas empresa, um levantamento realizado pelo Serasa Experian mostra que mais de 5 milhões de ME e EPP estavam inadimplentes em junho de 2018, o que comparado com o ano anterior, apresentou crescimento de 9,5%.

A sobrevivência (ou a mortalidade) do negócio resulta da combinação de um conjunto de fatores, sendo os principais: tipo de ocupação do empresário, experiência no ramo, motivação para abrir o negócio, planejamento do negócio, gestão do negócio e capacitação dos donos em gestão empresarial.

As empresas que querem se manter no mercado precisam estar sempre inovando em seus produtos, prestação de serviço e até mesmo no atendimento. Para isso precisam realizar: planejamentos, observação do mercado, mapeamento de nicho, identificação do avatar, cuidado adequado com as finanças para trazer garantia de sustentabilidade do negócio, preparação da rotina do negócio, não se acomodar com modelos já existentes, capacitação das pessoas e motivação no negócio (empreendedor e funcionários).

Outro ponto fundamental para estimular o crescimento das empresas é o planejamento e execução de ações de marketing, especialmente as que envolvem o meio digital. Esse tipo de ação é primordial para que a empresa seja vista e reconhecida, normalmente é um custo baixo em relação aos benefícios agregados à empresa. Porém, uma ação dessa mal executada pode trazer impactos institucionais negativos. As micro e pequenas empresas são as que mais contratam quando a economia está em alta, e quando a economia está em recessão, são as que menos demitem. Daí a extrema importância desses negócios na economia brasileira e de diversas famílias, que cada vez mais investem em se capacitar e empreender no negócio de suas vidas.

Por Daniel Carvalho