Artigo: Por que virar a tapioca?


Para quem não conhece a tapioca é uma iguaria muito consumida no nordeste por ser gostosa e fácil de fazer. Como toda boa comida ela tem lá seus segredinhos, é preciso virar a tapioca para que os dois lados fiquem uniformemente bem assados.

Bom, e o que isso tem a ver com o tão famoso e falado Mindset Digital?

É que para usarmos o pensamento digital precisamos também virar nosso cérebro do outro lado, ou seja, colocar para funcionar os neurônios que até então estavam mansamente adormecidos na zona de conforto.

Ao virar o nosso cérebro, que nem a tapioca, passamos a enxergar as coisas sob outra ótica e que, naturalmente, irá nos abrir os olhos ao novo, ao moderno, ao ágil, as novas formas de pensar, fazer e agir.

Aqui na Rui Cadete uso muito essa expressão para minha equipe, quando falo: “pessoal vamos virar a tapioca” eles já entendem que precisam mudar, destravar os potenciais e aprender novas coisas através da curiosidade, do aprendizado rápido e da execução imediata. Só assim teremos uma adaptação ágil a esse mundo digital que é tão instigante e desafiador e que está nos abrindo um mar de oportunidades de realizar coisas diferentes que até então nem pensávamos em fazer.

Mas virar a tapioca não é fácil, sem os ingredientes bons, a panela adequada e o conhecimento da hora certa de virar, pode ter certeza que tudo será uma grande bagunça na cozinha. Quem tentou sabe do que estou falando.

Da mesma forma somos nós, se não tivermos a bagagem do conhecimento, a experiência do negócio e um comprometimento imenso de querer realizar, pode ter certeza de que tudo virará um caos na vida profissional. Pois, hoje, ficarmos aonde sempre estivemos, não só nos paralisa, como nos puxa para trás de quem já soube virar a tapioca.

Liane Cadete – Diretora Geral da Rui Cadete