Saiba o que é Ponto de Equilíbrio Financeiro e como calculá-lo

Ao se estar a frente de uma empresa, tomando as decisões que irão definir o destino da empresa, é importantíssimo que essas decisões sejam baseadas em dados e informações concretas e de fontes confiáveis.

Deste modo, saber o ponto de equilíbrio financeiro do negócio é fundamental para a manutenção da saúde financeira da empresa. Por mais que muitas vezes sejam negligenciados, ou não se saiba nem mesmo o que é ou como calcular.

Se manter atento ao ponto de equilíbrio financeiro do negócio é muito importante para que os gestores se mantenham atualizados e atentos à situação financeira da empresa, se estão havendo mais custos que retornos e a empresa não pode se manter, entre outros aspectos muito importantes para a saúde da empresa.

Nessa publicação vai ser discutido justamente o conceito de Ponto de Equilíbrio Financeiro e como se deve fazer para calculá-lo, permitindo que se possa tomar o controle da sustentabilidade financeira do negócio e mantê-lo saudável.

O que é o Ponto de Equilíbrio Financeiro?

É conhecido como ponto de equilíbrio financeiro aquele ponto em que as receitas totais e os gastos fixos e variáveis de uma empresa em determinado período se igualam. 

De modo que caso haja um faturamento menor que o previsto, o resultado será de prejuízo financeiro, enquanto um maior faturamento irá resultar em lucro para a empresa.

Isto é, ao se reunir todos os tipos de gastos da empresa, sejam eles fixos ou variáveis, e compará-los  com o somatório de todas as receitas da empresa, obtiverem o mesmo resultado este será o ponto de equilíbrio financeiro.

Onde a empresa está estagnada financeiramente, sem que esteja perdendo, nem ganhando dinheiro. Sendo este um ponto onde ela pode se manter.

Este ponto de equilíbrio é calculado pela subtração dos gastos fixos pelos gastos não desembolsáveis, multiplicando o resultado pela margem de contribuição.

Mesmo que pareça complicado à primeira vista, o cálculo é bastante simples e mais adiante no texto iremos explicar de forma mais minuciosa. 

Importância do Ponto de equilíbrio financeiro para a empresa

Este é um indicador fundamental para os gestores possam identificar em qual momento um produto, serviço ou investimento irá cobrir os custos fixos e variáveis envolvidos e, por fim, começar a gerar lucro para a empresa.

Além de ser possível observar e prever os retornos do produto, também é possível que o empreendedor tenha acesso a informações como:

  • Verificar a viabilidade do seu negócio ou do seu projeto específico antes mesmo que saia do planejamento;
  • Descobrir maneiras de reduzir os custos, fixos e variáveis, do negócio;
  • Estabelecer os preços que os produtos e serviços deverão ter, com uma maior qualidade e de modo mais assertivo.

Como calcular o ponto de equilíbrio financeiro

Diferente do que muitos acreditam, o ponto de equilíbrio financeiro não é encontrado ao se levar em consideração apenas os gastos fixos. Também é necessário os custos e despesas variáveis para que se possa calcular o valor necessário para empatar as finanças ou mesmo obter lucros.

Para que o cálculo se torne mais fácil, é utilizada uma fórmula simples e bastante enxuta para que o resultado mostre ao empreendedor qual a quantidade de vendas de um produto ou serviço deve ser alcançada em determinado período para que a empresa possa gerar lucros.

Ao se ter gastos e lucros empatados, significa que o faturamento corporativo é zero, isto é, os custos e despesas são quitados, no entanto a empresa não apresenta lucros. Este é o Break Even Point, ou ponto de equilíbrio financeiro em português.

Vamos agora tratar do cálculo propriamente dito:

O primeiro passo para se fazer o cálculo do ponto de equilíbrio financeiro é reunir todas as despesas fixas do negócio, e a margem de contribuição daquele produto.

Gastos fixos

Os gastos fixos são aqueles necessários para manter as operações da empresa ao longo dos meses, sem contar com os gastos variáveis, que variam de acordo com a produção.

Contas como água, luz, folha de pagamento, materiais de escritório, são alguns exemplos de gastos fixos, pois se repetem todos os meses, e com um valor praticamente estático.

Margem de contribuição

Já a margem de contribuição se trata do ganho bruto sobre as vendas de produtos ou serviços da empresa. Sendo utilizada também para calcular o preço de venda dos produtos da empresa.

Para se obter a margem de contribuição é necessário ter em mãos alguns dados, são eles: o preço de venda; custo variável e as despesas variáveis. O cálculo segue a fórmula a seguir:

Margem de Contribuição = Preço de venda – (Custo Variável + Despesas Variáveis)

É importante se atentar que a margem de contribuição costuma ser utilizada na forma de porcentagem. Assim, é necessário que sempre se transforme o resultado dessa subtração em porcentagem. 

Já quando se for calcular o ponto de equilíbrio financeiro, basta transformar o percentual resultante em número decimal e calcular.

Fórmula de ponto de equilíbrio Financeiro

A fórmula é bastante simples, sendo a razão entre a soma das despesas fixas pelo resultado obtido pela margem de contribuição do seu negócio.

Ponto de Equilíbrio Financeiro = Despesas Fixas/Margem de Contribuição

Para melhorar a compreensão vamos aplicar um exemplo:

Em uma empresa, há o gasto de cerca de R$ 150 mil anuais para a manutenção de suas operações e a margem de contribuição do negócio seja 25%, vamos então calcular o Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF):

PEF=R$ 150.000(Despesas fixas)/0,25(margem de contribuição em decimal)

PEF= R$ 600.00

Portanto, a receita bruta anual da empresa deve ser, no mínimo, R$ 600.000 para que não se tenha prejuízos financeiros. Acima desse valor a empresa terá lucro, e abaixo disso estará com prejuízo.

Conclusão

Assim, aplicar o cálculo do ponto de equilíbrio financeiro é muito importante para que as empresas tenham consciência de que estado se encontram e se há a necessidade de se fazer mudanças, seja no modo de produção ou qualquer outro ponto da empresa.

Portanto, ao se manter os dados da empresa atualizados, é possível que as decisões tomadas pelos gestores possam estar baseadas em dados e informações que são realmente seguras e próximas à realidade, evitando muitos erros que poderiam levar a prejuízos a empresa.

Gostou do nosso post? Então compartilhe com seus amigos:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Sobre o autor

Rui Cadete

Relacionados

Categorias

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

Newsletter

Os melhores conteúdos do mundo contábil na sua caixa de e-mail! Preencha suas informações abaixo e inscreva-se:

Fale agora com um especialista
e entenda como podemos te ajudar: